Manifestação no Largo São Francisco relembra vítimas da violência nas ruas

Este slideshow necessita de JavaScript.


MNPR, população de rua e apoiadores se reuniram para reivindicar mais políticas públicas

Passados oito anos desde o Massacre da Sé, em SP, o MNPR de Curitiba realizou, no dia 17 de agosto, o “Dia de luta”, ato organizado em várias partes do país para relembrar o ocorrido. Em frente à sede do Centro Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (CEDDH), no Largo São Francisco, integrantes do movimento, pessoas em situação de rua e apoiadores se reuniram para protestar por melhores condições para uma população menos favorecida.

“Chega de violência, queremos políticas públicas”. Esses dizeres, pintados em um cartaz produzido no próprio local, com a ajuda da população de rua, expressam a luta do Movimento. Janaína Rocha, que já viveu 14 dos seus 24 anos na rua, participou da produção da faixa. Ela diz já ter presenciado a morte de companheiros por tortura e violência, segundo ela, motivadas pelo preconceito contra quem vive na rua. Janaína reclama da demora da polícia em atender às denúncias. “Muitas vezes a polícia chega só vinte minutos depois do chamado, e não há punição para quem agrediu”, diz.

O ato se estendeu por toda a manhã. Leonildo Monteiro, coordenador do Movimento Nacional da População de Rua no Paraná, ressaltou a importância da manifestação. “Através desse ato, relembramos as vítimas das ruas, do frio e da violência. Temos que acompanhar as violações de direito gratuitas sofridas pela população”, disse Monteiro. Além disso, o coordenador destacou a importância da conquista do CEDDH pelo Movimento, que possibilitará o atendimento mais eficaz das demandas da população de rua.

O Dia de Luta e o “Massacre da Sé”

Desde 2004, o dia 19 de agosto foi instituído como Dia de Luta pelo Movimento Nacional da População de Rua. Foi nesse dia que, há oito anos, sete moradores de rua faleceram na Praça da Sé, em São Paulo, vítimas de pancadas na cabeça. Mais oito pessoas ficaram feridas. As mortes teriam sido relacionadas a um esquema de segurança clandestina e tráfico de drogas. A suspeita é de que os moradores de rua sabiam do envolvimento de Policiais Militares nessas atividades e, por isso, foram mortos. Os responsáveis pelo chamado “Massacre da Sé”, até hoje, continuam impunes.

“Hoje lembramos dos irmãos em situação de rua que morreram por violência e por falta de políticas públicas”, dizia um cartaz produzido para o ato. Aqui no Paraná, o dia 17 de agosto foi marcado pela tristeza por tantos outros que, assim como as vítimas da Sé, infelizmente, morreram pela violência, pelo desamparo do poder público e pelo descaso de toda a sociedade.

Anúncios

Uma resposta para “Manifestação no Largo São Francisco relembra vítimas da violência nas ruas

  1. CAMPANHA – PELO FIM DA IMPUNIDADE
    Por um Código Penal que combata os crimes contra a vida!

    Assine o abaixo-assinado em http://www.pelofimdaimpunidade.com.br

    Olá Pessoal!!

    Precisamos da ajuda de Todos para o recolhimento de assinaturas pedindo aos Parlamentares que Revisem o Código Penal Brasileiro para que combata os crimes contra a vida! NOSSO PAÍS MERECE MENOS SOFRIMENTO.

    A adoção de penas mais rígidas para os crimes contra a vida. É o que propõe a União em Defesa das Vítimas de Violência (UDVV) após análise das sugestões da comissão de juristas que elaborou nova proposta de Código Penal.

    Reconhecermos avanços no que diz respeito a vários itens. Porém, as medidas para combater os crimes contra a vida ainda se encontram um tanto quanto tímidas – as penas remontam à criação do Código Penal, em 1940.

    Por isso, apresentamos alguns pontos que consideramos necessário aperfeiçoar no anteprojeto elaborado, que será avaliado pelos parlamentares:
    • Aumento do período máximo de prisão de 30 para 50 anos.
    • Aumento da pena mínima para o crime de homicídio simples, de 6 para 10 anos
    • Elevação do tempo para progressão de pena.
    • Volta do exame criminológico para concessão de benefícios penais.
    Se você defende a vida e concorda com nossa posição, faça parte dessa luta. Assine e ajude a divulgar esse abaixo-assinado, que será encaminhado a todos os parlamentares do Senado e da Câmara dos Deputados. Faça a diferença! Juntos, acabaremos com a violência e a impunidade em nosso país! Vamos divulgar no boca-boca, facebook, twitter, e-mail etc. Precisamos Mobilizar nosso Bairro, Cidade, Estado e O Brasil Todo!!!

    Mais informações sobre a campanha podem ser obtidas pelo e-mail contato@pelofimdaimpunidade.com.br ou pelo telefone (11) 2225-3145. No Site é possível fazer a assinatura eletronicamente e também é possível imprimir a versão em papel.

    Assine o abaixo-assinado em http://www.pelofimdaimpunidade.com.br
    Divulgue e Compartilhe!!! http://www.pelofimdaimpunidade.com.br

    Chega de Ficar de Braços Cruzados !!! Vamos Agir !!!!! http://www.youtube.com/watch?v=-d9_yFQytcs&feature=youtu.be

    Roberto Sekiya
    UDVV – União em Defesa das Vítimas de Violência
    (011) 99711-1194
    E-mail: contato@pelofimdaimpunidade.com.br
    Facebook: http://www.facebook.com/RobertoSekiyaII

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s